Teixeira Duarte executa reforço estrutural e recuperação de anomalias da Ponte Dom Pedro II sobre o Rio Paraguaçu, no Brasil

O grupo económico brasileiro VLI – entidade de referência na área das soluções logísticas de ferrovias, portos e terminais (www.vli-logistica.com) –, contratou, através da sua subsidiária “Ferrovia Centro Atlântico, S.A.”, a Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A. para a execução dos serviços de “Reforço Estrutural e Recuperação de Anomalias da Ponte Dom Pedro II, no km 139+750 do corredor Minas-Bahia da VLI”, em Cachoeira/São Félix, no estado da Bahia, no Brasil.

A ponte rodoferroviária sobre o Rio Paraguaçu, também denominada “Imperial Ponte D. Pedro II”, foi construída ligando as cidades de Cachoeira e São Félix e inaugurada com a presença do próprio Imperador, em 7 de julho de 1885. Trata-se de uma ponte metálica treliçada em caixão, com piso em madeira com um comprimento total de 365 m e com 9 m de largura. Significativa construção para a economia baiana no século XX e uma das principais obras de engenharia da América do Sul à época, a ponte é hoje também um dos cartões-de-visita de Cachoeira.

O projeto prevê o reforço estrutural dos pilares de alvenaria, de elementos secundários metálico, o reforço da corda superior, a substituição de 160 diagonais da ponte e de 16 aparelhos de apoio, bem como a substituição parcial do pavimento em chapa xadrez, limpeza e pintura.

Os trabalhos serão realizados pelos Centros de Exploração das áreas da Geotecnia e Reabilitação e da Metalomecânica da Teixeira Duarte – Engenharia e Construções e têm uma duração prevista de 24 meses.

O Grupo Teixeira Duarte iniciou atividade no Brasil em 2006, tendo apostado no desenvolvimento imobiliário nos mercados residencial e de escritórios de São Paulo. Em dezembro de 2007 o Grupo iniciou operação no setor da Construção, onde hoje atua através da Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A. e da sua participada local EMPA, S.A..

O Brasil tem sido um mercado estratégico para o desenvolvimento da atividade do Grupo, sendo que em 2016 representava 14% do seu volume global de negócios e no primeiro semestre de 2017 alcançou já os 20%.