História


1921 | 1928 | 1934 | 1943 | 1951 | 1961 | 1974 | 1978 | 1979 | 1982 | 1984 | 1987 | 1991 | 1992 | 1993 | 1995 | 1996 | 1998 | 2000 | 2001 | 2002 | 2005 | 2006 | 2007 | 2010 | 2011

1921

Início da atividade do Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte

O Eng.º Ricardo Esquível Teixeira Duarte (1886-1959) inicia a sua atividade enquanto empresário em nome individual no ano de 1921, dedicando-se a obras de captação de águas e pequenas obras de construção civil. Nesse mesmo ano, constituiu, com outros três sócios, a “Sociedade Portuguesa de Engenharia Lda.”, na qual exerceu as funções de Diretor da Seção de Hidrologia.

Aluno da Escola Politécnica de julho de 1909 a outubro de 1911, transferiu-se nessa mesma data para o Instituto Superior Técnico (IST), criado nesse ano, onde com o nº189 terminou o curso de engenharia civil em 7 de agosto de 1915.

O escritório da Rua da Palma nº 161, 1º Esq., em Lisboa, foi o local onde o Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte exerceu a sua atividade profissional a partir de 1921, sendo também o endereço da “Sociedade Portuguesa de Engenharia Lda.”.

1928

A primeira grande obra

Em 1928 concorreu, em nome individual, à Empreitada de Construção do Cais do Porto de Vila Real de Santo António, que lhe foi adjudicada, tornando-se assim o primeiro empreiteiro português de trabalhos marítimos.

A atividade da Empresa ficara, nesta altura, praticamente reduzida a uma segunda empreitada da obra do porto de Vila Real de Santo António, registando-se apenas algumas pequenas sondagens, a construção de um reservatório de betão armado e as fundações de uma pequena ponte até fim de 1933, data em que se concluiu esta grande obra.

1934

A especialização em geotecnia e fundações

A partir de então retomou o seu plano inicial, baseado na especialização em hidrogeologia e geotecnia, incluindo sondagens geológicas, pesquisas e captações de água, fundações e trabalhos hidráulicos e subterrâneos através da constituição, em 1934, da “Empresa de Sondagens e Fundações Teixeira Duarte, Lda.”, com sede na Rua Augusta 280, 4º, em Lisboa, escritório este que fora elegido pelo Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte para a sua atividade profissional em 1929.

A inovação foi uma constante na atividade da Teixeira Duarte ao longo do tempo. Sendo disso exemplos, a introdução da tecnologia de estacas moldadas no solo, em alternativa às estacas cravadas de madeira, e em concorrência com a casa belga Franki.

Esta tecnologia foi utilizada nas fundações do Novo Corpo Central do Palácio do Congresso (atual Assembleia da República) em 1934, nas fundações da Nova igreja da Av. da Berna (Igreja de Fátima) e nas fundações da Casa da Moeda, em Lisboa e assinalada na Patente de Invenção nº19.640: "Sonda-cravadeira para cravar tubos em terrenos compressíveis, com sondagem simultânea", concedida ao Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte em 1938.

1943

Um novo paradigma

A alteração da denominação da “Empresa de Sondagens e Fundações, Lda.” para “Empresa de Sondagens e Fundações Teixeira Duarte, Lda.”, marca uma mudança do paradigma de funcionamento da Teixeira Duarte, deixando a sua atividade centrada na pessoa do Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte para se focar numa sociedade em sentido amplo.

No ano seguinte, a Teixeira Duarte mudou a sede para a Rua da Betesga, 57, 3º andar, Lisboa. Posteriormente e de acordo com a alteração toponímica de 1950, esse endereço passaria a Praça da Figueira, 18. 3º.

Ainda em 1944 foi registada a marca Teixeira Duarte (estaca com as cinco quinas) e publicada no Boletim da Propriedade Industrial, dando posteriormente origem à atual insígnia e registada no INPI em 1988 (pedido apresentado em 1975).

1951

Os primeiros passos fora de Portugal continental

Em 1951, e no âmbito de um contrato celebrado com a Empresa de Cobre de Angola, para a execução de uma campanha de prospeção geotécnica no jazigo cuprífero de Mavoio, a Teixeira Duarte executou mais de 3000 metros de furos de sondagens à rotação com profundidades até 300 metros.

A atividade em Angola seria então interrompida nas décadas de 60 e 70, sendo retomada em 1979 através da execução das fundações para o Sistema de Telecomunicações por Micro-ondas.

Em 1955, a Teixeira Duarte foi responsável pelos trabalhos de reconhecimento geotécnico nos leitos dos rios Mandovi, Zuari e Chaporá e das fundações das pontes de Sanquelim e de Assolnã-Salcete, na Índia Portuguesa.

1961

A diversificação da atividade a todos os setores da Construção

Até finais da década de 60, a atividade da Teixeira Duarte orientou-se exclusivamente para os domínios da Geotecnia e Engenharia de Fundações. Porém, foi-se alargado a outros domínios da Construção, o que, na remodelação dos Estatutos em 1961, se materializou no seu objeto social: “execução de estudos e de obras de engenharia, especialmente sondagens geológicas, captações de águas subterrâneas, consolidação e impermeabilizações do solo, fundações e construções de todos os géneros.”

1974

O setor imobiliário

O “Aparthotel Guadiana”, em Monte Gordo, no Algarve, foi construído pela Teixeira Duarte para uma Sociedade que viria depois a ser inserida no Grupo, em 1974, iniciando-se assim, neste ano, a atuação da Teixeira Duarte no setor imobiliário.

1978

Entrada na Venezuela

Início da atividade em Venezuela em 1978, com a constituição da "Tegaven - Teixeira Duarte Y Associados, C.A." e a construção do empreendimento imobiliário "Urbanización Palma Real", em Valência.

1979

Know-how e valia técnica

É em 1979 que se concluem os aspetos finais do projeto do novo Hospital Central de Coimbra (hoje denominado Hospital Universitário de Coimbra). Este projeto, que para a Teixeira Duarte foi o primeiro desta dimensão em regime de conceção/construção e que envolvia também o fornecimento do equipamento hospitalar e médico-cirúrgico.

Com a adjudicação feita em 1975, teve diversos anos de estudos e projetos que levaram à assinatura do contrato em 26 de Agosto de 1978 e à sua revisão durante este ano de 1979.

A obra viria a começar em 1980 e a revelar-se não só como muito importante para a projeção da Empresa, mas também para o know-how adquirido para os muitos mais hospitais posteriormente construídos e que fazem, ainda hoje, da Teixeira Duarte uma referência incontornável nesta área de construção hospitalar.

Ainda em 1979, ocorreram graves escorregamentos na Encosta das Portas do Sol, em Santarém, tendo a Teixeira Duarte sido chamada para a resolução de um problema complexo e que afetava, com cada vez maior preocupação, a Linha do Norte situada entre o rio Tejo e a encosta. Embora existam relatos de escorregamentos naquela zona desde 1862 e de já em 1965 ter sido adjudicada à Teixeira Duarte a execução do revestimento da bancada calcária do topo da encosta foi apenas após estes acontecimentos de 1979 que a Teixeira Duarte projetou e executou a consolidação da encosta, numa empreitada plurianual repleta de singularidades e em que a valia técnica e criativa, bem como a persistência e o empenho foram essenciais para o seu sucesso.

1982

Entrada em Moçambique

Início da atividade em Moçambique em 1982, com a empreitada de “Consolidação e Posicionamento da Torre I da Ponte sobre o Rio Zambeze”, na cidade de Tete.

1984

A entrada em Macau e a atividade no setor das Concessões e Serviços

Início da atividade em Macau em 1984, com o contrato de construção do edifício do Comando das Forças de Segurança de Macau e a constituição, no ano seguinte, da sociedade "Teixeira Duarte - Engenharia e Construções (Macau), Lda.". No ano seguinte, e através da participação na "CPM – Companhia de Parques de Macau, S.A.“, para a qual a Teixeira Duarte viria a construir diversos parques de estacionamento em Macau, celebra-se assim o início da atividade no setor das Concessões e Serviços.

1987

“Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A.”

Em paralelo com as alterações estatutárias, também neste ano de 1987 se consolidaram as profundas modificações em termos organizativos, que conciliavam a existência de órgãos sociais com as Direções de Exploração e ainda as Direções Centrais. Transformação da Sociedade para a forma anónima, com forte aumento de capital e alteração da denominação para a atual “Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A.”, procedendo-se também à abertura do capital da empresa aos colaboradores e a uma nova organização interna através da criação dos Centros de Exploração e de Direções Centrais. A “Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A.” viria a ser a sociedade de topo do Grupo Teixeira Duarte até 2009.

1991

Setor Automóvel

O início da atividade do setor automóvel remonta a 1991, através de um contrato de representação e distribuição de viaturas da marca Nissan, em Angola, pela sociedade “TDA – Comércio e Indústria, Lda.” Numa longa história de crescimento baseada em relações de confiança e no respeito pelos compromissos assumidos, este setor tornou-se hoje um dos maiores grupos de distribuição e retalho multimarca de Angola. Hoje, através de rede de pontos de venda e assistência técnica, as empresas do Grupo Teixeira Duarte proporcionam aos seus clientes serviços comerciais e técnicos globais de elevada qualidade, garantidos por uma vasta equipa de profissionais especializados.

1992

Setor da Hotelaria

O início da atividade hoteleira deu-se em 1992, através exploração do Hotel Sinerama, em Sines. Este hotel, construído pela Teixeira Duarte em meados dos anos 80, era propriedade de uma sociedade na qual a Teixeira Duarte detinha uma participação maioritária. Hoje, através da marca TDHotels, o Grupo Teixeira Duarte conta com oito unidades hoteleiras, duas sitas em Portugal, três em Angola e três em Moçambique, que totalizam 2.460 camas e 1.230 quartos.

1993

A primeira sede por si construída

Após 27 anos no n.º42 da Av. da República, em Lisboa, a Teixeira Duarte relocalizou a sua sede no “Edifício Open” sito na Av. das Forças Armadas, n.º 125, 4º A, também em Lisboa, um edifício por si construído e que foi a sede da empresa até 2002.

1995

Atividade na área do meio ambiente

Início da atividade na área de Meio Ambiente em 1995, com a aquisição de uma participação maioritária na sociedade então denominada “RECOLTE – Recolha, Tratamento e Eliminação de Resíduos, S.A.”. O Grupo Teixeira Duarte atuaria neste setor até 2019.

1996

Setores da Distribuição e da Energia

A Teixeira Duarte iniciou a sua atuação no setor da distribuição em 1996 em Angola, de uma forma natural, ou seja, tendo por base a sua experiência anterior da necessidade de criar canais de abastecimento para as suas equipas, que ali operavam em grande número e dispersas pelo território. Desde então, a Organização cresceu e diversificou a sua operação em Angola, onde a empresa CND é detentora de uma das mais reconhecidas redes de retalho alimentar – “MAXI” –, da insígnia “Dakaza” que se dedica a produtos para o lar e mobiliário, da “Farmácia Popular”, insígnia de retalho na área de saúde e bem-estar e das “Pastelarias Nilo”, na área da restauração. Na Energia, em 1996, a Teixeira Duarte passa a ter uma posição neste setor, através da aquisição da participação maioritária na "PETRAS, S.A." e respetiva exploração dos seus postos de abastecimento de combustíveis, alargando-se posteriormente o âmbito de atuação no setor para as áreas de lubrificantes, gás e energia solar, nomeadamente através das marcas Avia e Digal. A Teixeira Duarte cessou a sua atividade neste setor através da cedência da sua posição em 2017.

1998

Cotação em bolsa da “Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A.”

Abertura do capital social ao investimento do público, com admissão das ações à negociação na então denominada “Bolsa de Valores de Lisboa”, hoje Euronext Lisbon.

2000

Gestão e Manutenção de Instalações e Empreendimentos

Início da atividade na área de Gestão e Manutenção de Instalações e Empreendimentos através da ”TDGI – Tecnologia de Gestão de Imóveis, S.A.”. A “TDGI – Tecnologia de Gestão de Imóveis, S.A.” surge no ano 2000 como consequência natural do trabalho desenvolvido nestas áreas e pela crescente solicitação dos clientes que pretenderam prolongar a relação de confiança no grupo através de contratos de gestão e manutenção do seu património. Hoje, a TDGI está presente em 9 países (Portugal, Angola, Moçambique, Espanha, Brasil, Bélgica, Luxemburgo, Argélia e Qatar) assumindo-se como um parceiro de confiança dos seus clientes na gestão, manutenção e conservação dos seus patrimónios, com o claro objetivo da “Integral Satisfação do Cliente”.

2001

Entrada em Espanha

Teixeira Duarte iniciou as suas atividades em Espanha 2001, com a execução dos trabalhos de paredes moldadas no âmbito do projeto Metrosur - Metro de Madrid e, em 2003, adquiriu uma participação maioritária na empresa então denominada “GSC – Compañia General de Servicios y Construcción, S.A.”. A atividade neste país viria a diversificar-se a outros setores de atividade, nomeadamente às Concessões e Serviços (Facilities Manament e Meio Ambiente).

2002

Lagoas Park

Em 1 de abril de 2002 a Teixeira Duarte instala-se no seu novo edifício sede, no Lagoas Park, em Porto Salvo – Oeiras. Este parque empresarial, construído e gerido até 2018 pela Teixeira Duarte, tornou-se uma referência e um caso de sucesso no contexto dos parques empresariais em Portugal.

2005

Argélia

Inicia-se a atividade na Argélia, com o contrato da empreitada de infraestruturas integrada no projeto “Adução de Água Potável às Cidades de Mostaganem, Arzew e Oran. A partir daí, e fazendo jus à natureza estratégica do país, a Teixeira Duarte procedeu à mobilização de pessoal, equipamento e capitais que permitiram a criação de estruturas locais que lhe possibilitam, assim como às suas participadas, contribuir para o notável desenvolvimento daquele país, em concorrência com empresas de todos os continentes. A Teixeira Duarte atua na Argélia no setor da construção, com grande enfoque na área das obras públicas e infraestruturas.

2006

Brasil

A atividade no Brasil teve início em 2006, com a constituição da sociedade “TDPG – Empreendimentos Imobiliários e Hoteleiros, Ltda.” para desenvolvimento de um projeto turístico e hoteleiro em Porto de Galinhas, Estado de Pernambuco. Neste país, a atividade da Teixeira Duarte tem vindo a ser consolidada nos últimos 15 anos, quer no setor imobiliário com o desenvolvimento de diversos projetos residenciais em São Paulo, quer no setor da construção, nomeadamente através da aquisição da empresa EMPA, S.A. – Serviços de Engenharia, empresa fundada em 1954 e com sede em Belo Horizonte, cuja capacidade, dimensão e condições para exploração de novos negócios, vieram reforçar o crescimento da Teixeira Duarte neste mercado.

2007

Atividade na Área da Educação

O início da atividade na área de Educação aconteceu 2007, com a constituição da “EDUCARE - Actividades Educativas e Culturais, Lda.”, e consequente entrada em funcionamento do Colégio S. Francisco de Assis Luanda Sul, em Talatona. O Colégio S. Francisco de Assis (CSFA) Luanda Sul é uma instituição particular de Currículo Completo Português que inclui as valências da Educação Pré-Escolar, Ensino Básico e Ensino Secundário.

2010

Teixeira Duarte, S.A., a sociedade de topo do Grupo Teixeira Duarte

A "Teixeira Duarte, S.A.", constituída em 2009, adquiriu em 2010 e no âmbito de Oferta Pública de Troca, a totalidade do capital social da "Teixeira Duarte - Engenharia e Construções, S.A." e passou a ser a sociedade cotada de topo do Grupo Teixeira Duarte, hoje composto por mais de 175 entidades no seu perímetro de consolidação.

2011

Estaleiros Centrais no Montijo

A 1 de abril de 2011, foi inaugurado o novo estaleiro central "Pólo Operacional Teixeira Duarte", no Montijo. Esta nova infraestrutura veio permitir a concretização de requisitos ambientais, para além de otimizar os recursos e aumentar a capacidade produtiva. Este novo estaleiro central veio substituir o espaço até então ocupado em Vale Figueira (desde 1982). Recorde-se que o primeiro estaleiro central da Teixeira Duarte localizou-se na Quinta das Freiras, no Rego, Lisboa (desde 1940), sendo substituído pelo terreno em Santa Iria de Azóia de 1967 até à mudança para Vale Figueira Para responder aos desafios que os mercados internacionais, foram também estabelecidos estaleiros noutros países, como Angola (em Viana), Moçambique (em Zimpeto) e Brasil (em Cumbica).

Expansão geográfica

A proximidade a outros mercados onde a Teixeira Duarte já se encontra presente, principalmente no setor da Construção, permitiu que as empresas do Grupo aproveitassem oportunidades em novas geografias. Destacam-se a Colômbia, o Equador e os Estados Unidos no continente americano, Cabo Verde e o Gabão em África, o Reino Unido na Europa e o Kuwait no Médio-Oriente.

X